Arquivo para dezembro \31\UTC 2011

Suínos e sinônimos

O nariz de tomada chegou a tirar o ferrolho da porta. Era a chance que ele tinha de voar. Um dragão vermelho esperava do lado de fora. Suas pegadas faziam a casa de tijolos tremer.

O porquinho quis deixá-lo entrar. Mesmo sabendo que as paredes ruiriam. Não precisaria mais de muros pra se proteger do lobo. Que é mau. Mas não é bobo. E sabe que não pode com cuspidores de fogo.

Ele quase abriu, mas aí pensou que suínos e feras não combinam assim de primeira. Feras mordem, feras tem garras. Feras são ferozes.

Porcos não.

Depois pensou que sopro de lobo não derruba construção. Mas que pode apagar chama. E que sem chama dragão não fica. Aí sobra presunto sem abrigo e canino faminto.

Má ideia.

Lamentou não ter nascido réptil. E só abriu a porta quando o lagarto alado desistiu de entrar.

Voar era um sonho.

Não foi dessa vez.