Arquivo para junho \17\UTC 2010

Impiedoso amor.

Certo dia acordou angustiado. Há tempos sentia-se infeliz e insatisfeito. Ollhou ao redor em busca de culpados. Não os enxergou. Resolveu culpar o amor. Enfrentou o suposto inimigo e o expulsou de sua vida sem pensar duas vezes. Era uma tentativa desesperada de sentir-se melhor. Em vão.

O amor, cruel e rancoroso como só ele pode ser; tomou atitudes, contra-atacou, castigou o pobre rapaz com uma espécie de maldição. Atirou-o em uma tristeza profunda e avassaladora. Tristeza amarga que não dava sinais de ser passageira, pelo contrário, tinha um gosto de eterna que só amarrava ainda mais a boca.

Jogado, sem forças e arrependido pegou-se pensando nos contos de fadas. Finalmente foi capaz de entender aqueles príncipes malucos que enfrentam dragões e bruxas poderosas. Movem-se por amor, astutos que são. Sabem que ao fugirem de tão poderoso sentimento sofrerão mais do que por qualquer ferida causada por um monstro enfurencido. Pois, o amor  não concebe ser ignorado. Sua dor é cruel, perpétua e impiedosa.

Decidiu lutar contra seus monstros e ao lado do amor.

@CheRomaro